O Agravo de Instrumento pelo novo Código de Processo Civil e o princípio da celeridade processual

Plano De Contas Para Construção Civil Contabilidade Em Brasília - Contabilidade em Brasília

Compartilhe nas redes!

No início do ano de 2016 entrou em vigor o Novo Código de Processo Civil. O texto legal do novo código trouxe diversas inovações processuais que eram necessárias há muitos anos, algumas que beneficiam as partes, algumas que beneficiam a atuação do advogado e algumas que beneficiam o próprio andamento processual.
Uma das alterações mais importantes para o bom andamento do processo judicial é a taxatividade do Agravo de Instrumento. Significa dizer que, pelos termos do novo Código de Processo Civil, a sistemática de recorrer por qualquer decisão judicial foi substituída pela possibilidade de recursos apenas nos casos previstos no artigo 1.015, tornando taxativo o rol de matérias recorríveis por instrumento.
Na prática do andamento processual, referida taxatividade garante ao processo maior dinamismo e celeridade, pois impede, pelo menos em parte, a postergação do processo pela apresentação indiscriminada de recursos, em sua maioria desnecessários e protelatórios, os quais não colaboram de nenhuma forma ao andamento processual, mas apenas atrasam o seu movimento.
Contudo, referida mudança não é “só flores”, pois algumas matérias que deveriam, pelo menos em parte, ser objeto de Agravo de Instrumento, não foram observadas no texto legal, dentre elas está a produção probatória.
E isto se dá porque, em alguns casos, a produção desta ou daquela prova é de suma importância para o andamento do feito ou para a solução da lide, mas por escolha do magistrado Julgador a prova não é realizada, o que culmina com a alegação de nulidade processual em apelação, podendo causar a nulidade processual e o retorno dos autos ao 1º grau para que a prova seja produzida.
Neste caso, a taxatividade do Agravo de Instrumento não trouxe ao feito qualquer benefício na esfera da celeridade processual, muito pelo contrário, causou um atraso ainda maior, pois o feito que foi objeto de recurso de apelação, retornará ao 1º grau para produção da prova pleiteada, onde certamente surgirá nova sentença e novos recursos.
Assim, o que se verifica é que, sendo um Código totalmente novo, certamente necessitará passar por várias alterações ao longo dos anos, adequando-se pequenas lacunas como a aqui apresentada, mas uma coisa é certa, a intensão é salutar e eventuais novas alterações devem sempre levar em conta o bom andamento do processo.
Fonte: MundoAdvogados.com.br

Classifique nosso post post

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja também

Posts Relacionados

Saiba Como Se Destacarentre As Demais Imobiliarias Da Sua Regiao Agora Mesmo Blog - Contabilidade em Brasília

Como se destacar: o que fazer em sua imobiliária?

Saiba como se destacar entre as demais imobiliárias da sua região Conheça algumas técnicas que podem ser decisivas na hora de obter destaque em meio ao mercado imobiliário A busca por melhores estratégias e maneiras de aumentar as vendas, ou

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Recomendado só para você
O preço era atrativo, o produto parecia ser bom, você…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top